Entrevista Com Penelope Cruz

Penélope Cruz está enviando uma mensagem por telemóvel meio aninhado nas montanhas sofá e com um sorriso de íntima alegria no rosto. Diz a lenda que é arisca com a imprensa espanhola. Diz a lenda que é bastante parca em tuas respostas: ao seu colega da alma, de Pedro Almodóvar, chegou a qualificar de “reservada”. Mas a lenda hoje é uma lenda porque a realidade se institui.

Appetite, Calories, Catering, Closeup

A atriz está sozinha, sem representantes, assistentes ou relações públicas. Não tenha pedido um questionário prévio (tal como realizam outros profissionais com menos brilho). Leva um fino vestido preto de alças e se cobre com um xale de caxemira em tons de cinza. Se você perdeu um brinco”, solta Penélope acompanhando a frase com este gesto intuitivo e cúmplice, tão feminino, de começar a procurá-lo já. Primeira impressão: é rápida, não lhe escapa detalhe e está mais do que acostumada a possuir uma ideia de quem se lhe põe diante, sem perder um segundo.

Toca devolver-lhe o observar: Penelope Cruz está feliz e se lhe nota. Diria que é um adocicado instante em que lida com sua existência e sua carreira sem emergência alguma; tomándoselo tudo com mais calma, trabalhando bastante todavia sem encadear um projeto atrás do outro. Woody Allen, o diretor, que lhe deu um papel de Oscar.

Contudo não há que burlar: as maratonas de rodar três ou 4 filmes por ano parecem coisa do passado. Questão de prioridades, de ser mãe, a todo o momento ajusta, e de cabeça, qualquer coisa respeitável em uma pessoa que às vezes diz sim a um projeto, em razão de, simplesmente, não podes deixar de ponderar nele.

Muita inteligência emocional e bastante de anjo necessita de ter essa mulher pra que vários dos diretores com os quais tem trabalhado voltem a chamá-la. Foi repetido com Bigas Luna, Fernando Trueba, Rob Marshall, Castellitto, Allen e, é claro, de Almodóvar. No cinema, uma profissão em que o ego é uma necessidade e adversário, equilibrar os diferentes frentes com a tensão de um video e continuar como amigos tem mérito. Inserir as agendas de um casal de atores com Oscar e sucesso, tem de ser quase tão complicado como solucionar com uma mão o cubo de Rubik.

Assim sendo, pra atriz, desfrutar do presente e prosseguir trabalhando concedendo a si mesma, um relativo descanso significa, muitas vezes, conduzir uma existência nômade; de luxo, se você quiser, mas nômade. Desta forma, Penélope Cruz recebe o Magazine em um quarto com visão para o Tamisa, o London Eye. Seu marido, Javier Bardem, está fazendo de falso no próximo James Bond, que roda pela capital britânica.

  • Um dos países com um índice superior de obesidade
  • Como reduzir de peso acelerando o seu metabolismo
  • Pela gastronomia peruana
  • Dormir 19 horas por dia

Isabel Coixet me comentou uma vez que você era, acima de tudo, uma currante. Reconhece-Se na definição? Sim, eu reconheço. Eu levo minha profissão a sério e eu gosto de trabalhar duro. É a única maneira que eu sei de aproximar-me do trabalho que comecei. Ninguém recebe nada. A mim me deram oportunidades muito primordiais que sempre tentei desfrutar e desfrutar ao máximo.

Também por saber tomar decisões a tempo.

E isto significa doar tudo, esforçar ao limite. Tudo o que possa ter em minha carreira me chegou pelo serviço duro. Também por saber tomar decisões a tempo. Nunca fui no plano faço as malas e deixar tudo. Nunca comentou eu irei e deixo de trabalhar em meu nação. Ofereceram-Me um protagonista lá, e fui com o meu bilhete de ida e volta.

Depois foram saindo mais propostas, e passava lá estações mais ou menos longas. Contudo foi tudo insuficiente a pouco. É verdade que tenho recolhido vários gatos na avenida. Castellitto tem um gato meu em sua casa! Sempre me encontrava gatos em filmagens. Nos primeiros anos, viajando e trabalhando nos Estados unidos, França ou Itália, havia momentos em que me senti sozinha. Nada atípico. O mesmo se diria cada estudante que, por adoro ou por responsabilidade, tenha ido aprender fora de sua cidade e não tenha perto de sua família. Nesses casos, ter amigos é fundamental. E a você com os amigos, se chamem Goya Toledo, Salma Hayek, Johnny Depp, Bônus ou Almodóvar, parece que vai durar.

A amizade e a família são bastante primordiais pra mim. Saber quem são as pessoas em quem você poderá confiar e com quem poderá a toda a hora revelar é quase que uma inevitabilidade. Meus melhores amigos são os mesmos, imediatamente, que há 20 anos. É mais complexo fazer amigos neste instante? Tornou-se mais cauta?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *